sexta-feira, 26 de março de 2010

Associação Olímpica de Itabaiana


Nome: Associação Olímpica de Itabaiana

Alcunhas: Tremendão da Serra, Tricolor da Serra

Fundação: 10 de julho de 1938

Estádio: Presidente Médici

Capacidade: 12.123 pessoas

Presidente: Amilton Gomes

Treinador: Quintino Barbosa

A Associação Olímpica de Itabaiana é um clube de futebol brasileiro com sede na cidade de Itabaiana, no Estado do Sergipe, fundado em 10 de julho de 1938.

História

Data da década de 20 o ponto de partida do futebol em Itabaiana com o Santa Cruz e o Brasil. Em 10 de julho de 1938 era fundado o Botafogo Sport Clube que seria mais tarde, na década de 50, transformado em Itabaiana Esporte Clube. O seu primeiro título veio em 1953 ainda como amador. Em 1960, o profissionalismo chega ao futebol sergipano, ocasião em que se consolidavam definitivamente os grandes clubes: Itabaiana, Sergipe e Confiança. O primeiro título de campeão sergipano de profissionais viria no ano de 1969 no antigo Estádio Etelvino Mendonça. Esse momento da história do time foi de fundamental importância, por ter provocado uma “febre” de auto-estima e orgulho nos itabaianenses, marcando para sempre o inicio de uma paixão entre clube e torcida.

A conquista mais importante do futebol sergipano viria em 1971, quando o Itabaiana conquistaria o título de campeão do Nordeste e vice do Norte-Nordeste, feito este que promoveu um aumento no quadro social do clube para 1150 associados, que na época era um número bastante relevante. Ainda em 1971, mais precisamente no dia 5 de março, era inaugurado o Estádio Presidente Médici com a partida entre o Itabaiana e o Grêmio que empataram nessa ocasião por 0x0, tornando assim este estádio definitivamente a casa do time e da torcida tricolor. Disputas memoráveis ocorreram posteriormente, envolvendo os clubes da capital, Sergipe e Confiança, e o Itabaiana, aumentando assim cada vez mais antigas rivalidades entre o interior e a capital.

O segundo título estadual seria conquistado no ano de 1973, em pleno estádio Lourival Batista, na capital. Mas foi entre o final da década de 70 e inicio da década de 80 (78, 79, 80, 81 e 82) que o Itabaiana consolidaria sua hegemonia no futebol do Estado, conquistando um inédito pentacampeonato, tendo como responsável direto por tal feito histórico o Sr. José Queiroz da Costa, eterno patrono da equipe, que não medira esforços para obter tais conquistas. Um jejum de 15 anos ocorreu até o próximo título em 1997, quando o Itabaiana derrotou o Confiança, mais uma vez no Batistão. Em casa, no Estádio Presidente Médici, o primeiro título de campeão sergipano seria conquistado em 2005, numa vitória sobre o rival do interior, o Lagartense.

Estádio

O Estádio Presidente Médici com capacidade de doze mil pessoas é onde o Itabaiana manda seus jogos. Foi inaugurado em 5 de março de 1971 num jogo contra o Grêmio. É a casa do Itabaiana quando manda os seus jogos, está localizado entre a Praça Etelvino Mendonça e a Avenida Manuel Francisco Teles, no centro da cidade de Itabaiana. Conta com espaçosos vestiários, um gramado de excelente qualidade, iluminação para jogos noturnos e placar eletrônico. Uma curiosidade digna de nota é que o Itabaiana conseguiu ganhar apenas um título dentro dessa praça desportiva, exatamente o título estadual do ano de 2005.

Uniforme

Principal: Camisa com listras verticais azuis, brancas e vermelhas, calção azul e meias azuis.
Secundário: Camisa branca com faixas horizontais em azul e vermelho, calção azul e meias azuis.

Curiosidades



  • Em 1971, o regulamento do Campeonato Sergipano foi alterado em pleno andamento. A competição deveria ser realizada em dois turnos, como o Itabaiana havia sido campeão do primeiro turno e liderava o segundo com folgas, houve uma reunião na FSF, onde foi mudada a fórmula do campeonato: deveria haver um terceiro turno, e o campeão deste decidiria o título com o Tremendão numa melhor de três. Resultado: Sergipe campeão do terceiro turno. Melhor de três com dois jogos no Batistão e um no Médici. Sergipe campeão injustamente.


  • O ano era 1973, Sergipe e Itabaiana novamente na final: Dois jogos no Batistão e apenas um no Médici. No primeiro jogo, no Batistão, o Tricolor é prejudicado pela arbitragem e o Sergipe vence. Segundo jogo, no Médici: Vitória do Itabaiana. Terceiro jogo, no Batistão: A Associação Olímpica de Itabaiana exige árbitro de fora do estado e é campeão dentro do Batistão em cima do Sergipe.


  • O Itabaiana foi pentacampeão do estado de 1978 a 1982. Em todos os jogos das finais foi exigida arbitragem da FIFA, pelo patrono do Itabaiana, o Sr. José Queiroz da Costa.


  • Em 1981, novamente o clássico na final do campeonato: Itabaiana e Sergipe. O vermelhinho da capital, com a colaboração da FSF, decidiu fazer a finalíssima num feriado e com os portões abertos, com o objetivo de lotar o Batistão com a torcida do Sergipe e esmagar a torcida tricolor. O Itabaiana protestou, mas a decisão foi mantida. O patrono do Itabaiana, o Sr. José Queiroz da Costa, anunciou na véspera da decisão que o Tremendão não entraria em campo. No dia do jogo, às 4 da tarde, o Batistão estava vazio (já que todos acreditavam que não haveria jogo), o Sergipe entrou em campo certo da vitória por W.O e... o Tricolaço entra em campo, surpreendendo a todos. Resultado: Sergipe 0x1 Itabaiana, Tricolor campeão.


  • Em 1982, aconteceu um episódio conhecido por “Golpe do Nacour”. Itabaiana e Sergipe na final. Como sempre, o Tricolor exigiu arbitragem da FIFA. A FSF anunciou que o árbitro seria o maranhense Nacour Arouche (cunhado do médico do Sergipe), aspirante à FIFA, alegando que não havia árbitros disponíveis. Desta vez o Itabaiana realmente não entrou em campo e o resultado ficou a cargo da justiça. No TJD, os julgadores decidiram pelo Sergipe como campeão por cinco votos a um. O Itabaiana recorreu ao STJD junto ao renomado advogado Valed Perry e lá declararam a Associação Olímpica de Itabaiana campeã por sete votos a zero. Os resultados dos julgamentos só saíram em 1983, e como não havia mais como decidir no campo, a FSF declarou ambos os times campeões.

Títulos


Regionais

Copa do Nordeste: 1971


Estaduais

Campeonato Sergipano: 9 vezes — 1969, 1973, 1978, 1979, 1980, 1981, 1982, 1997 e 2005.

Copa Governo do Estado: 2 vezes — 2006 e 2007.

Outros

Campeonato da Zona Centro: 1959

Campeonato Sergipano de Juniores: 2002, 2004


Ranking da CBF

Posição: 100º

Pontuação: 95 pontos

Nenhum comentário:

Postar um comentário