quinta-feira, 18 de março de 2010

Goytacaz Futebol Clube


Nome: Goytacaz Futebol Clube
Alcunhas: Goyta, Azulão de Campos
Mascote: Curumim
Fundação: 20 de agosto de 1912 (97 anos)
Estádio: Ary de Oliveira e Souza
Capacidade: 15.000
Presidente: Zander Pereira
Treinador: Dário Lourenço

História

Foi criado a partir de um desentendimento de um grupo de remadores do clube Natação de Regatas Campista, que teve negado um pedido de barco para passear no Rio Paraíba. O nome do clube foi uma homenagem aos primeiros habitantes da cidade de Campos: os índios goytacazes, que segundo o Historiador Eduardo Bueno, eram os mais ferozes índios do atual território conhecido como Brasil, além de exímios nadadores, o que lhes dava uma vantagem extra nas batalhas.

A primeira diretoria do Goytacaz foi formada assim: Luiz Carlos Cabral (presidente), Roberto Melo (vice-presidente), Otto Nogueira (1º tesoureiro), Jaime Rego (2º tesoureiro), Rudah Martins (1º secretário), Álvaro Nogueira (2º secretário), João Cunha (fiscal) e Manoel Patrão (procurador) e também ficou decidido, ainda, que a casa de Otto Nogueira, situada à Rua 21 de Abril, nº. 14, no centro da cidade, ficaria sendo provisoriamente a sede do novo clube.
A primeira partida foi em 25 de Agosto de 1912 contra o Internacional e a equipe alvi-anil venceu por 2 x 1 e o time jogou com: Claudinier, Mário Manhães e Catete, Álvaro Nogueira, Estevam Almeida, e Adelino, Laranjeira, Linconl, Jorge Gomes, Didi e Otto Nogueira.

O primeiro campo do Goytacaz foi defronte à igreja de Santo Antônio, em Guarus e, por isso, o santo é considerado o padroeiro do time. Mais tarde o campo passou para a Praça da República, onde a Prefeitura Municipal cedeu um terreno, mas ali o clube não ficaria por muito tempo, pois logo se mudaria para perto do Liceu de Humanidades, no antigo campo do Luso Brasileiro, no mesmo terreno onde, mais tarde, seria construído o palacete de Finazinha de Queirós, transformado após a sua morte na Casa de Cultura Villa Maria.O clube, porém, mudaria novamente e, dessa vez, se estabeleceria em frente à linha férrea campista, no início da Rua do Gás, na Lapa. Foi nesse campo que o Goyta tornou-se, definitivamente, um dos maiores times da cidade, chegando a ter ali mesmo o primeiro campo com iluminação elétrica do interior do Estado, em 5 de junho de 1930, o que causou muita polêmica, já que a cidade vivia sérios problemas de abastecimento de energia.

O Goytacaz foi o primeiro time de Campos dos Goytacazes e o terceiro do antigo Estado do Rio a jogar no Estádio Jornalista Mário Filho, o Maracanã. Isso aconteceu em novembro de 1963, contra a equipe carioca do Madureira e a partida terminou empatada em 2 x 2. Antes dele, jogaram no Maracanã o Canto do Rio, que disputava especialmente o Campeonato Carioca desde 1941 e estreou no Maracanã já em 1950, e o Fonseca, que disputava o Campeonato Fluminense mas enfrentou Fluminense e America no estádio pela Taça Brasil de 1960 e 1961.
O Goytacaz foi o primeiro campeão da cidade de Campos dos Goytacazes, isto em 1914. O clube conquistou vinte campeonatos campistas, sendo o de 1955 de forma invicta, além de ter sido o primeiro tetracampeão (1940 / 41 / 42 / 43), levantou duas taças Cidade de Campos e cinco campeonatos estaduais (antigo campeonato Fluminense - 55 / 63 / 66 / 67 / 78).
Em campeonatos brasileiros, a melhor performance do Goytacaz na primeira divisão foi em 1978, quando conquistou o 30° lugar, entre 74 participantes. Em 1985 foi vice-campeão da Taça de Prata, equivalente a segunda divisão nacional.

O Goytacaz foi o primeiro clube campista a ter um jogador na seleção brasileira, Amaro da Silveira, titular absoluto no Sul Americano de 1923 e que deixaria um outro craque como seu herdeiro, Amarildo, “o possesso”, campeão do mundo em 1962 no Chile.

Os presidentes do Goytacaz foram: Luís Cabral, Vicente do Amparo Ferraiuolli, Osvaldo Cunha, Luís Sérgio Silva, Francisco Carvalhal, Augusto Faria, Salim Nagem, Ary de Oliveira e Souza, Dr. Jacintho Simões, Martinho Santafé, Domingos Guimarães, Abelardo Brito, Antônio Ribeiro Alvarenga Filho, Gumercindo Freitas, Sebastião Lírio, José Gabriel, Nilson Cardoso de Souza, Salvador Araújo Nunes, Edson Alvarenga, Antônio José Coutinho, Jacynto Simões , Ramiro Alves Pessanha Filho, Rubens Vieira Rios, Roberto Krunfly, Rafael Martins, Edecyr de Oliveira, Jorge Fernandes de Souza, Amaro Escovedo, Amaro Gimenes, Arizo Azevedo, Manoel Santana, Antônio Eraldo Lopes Riscado,Armando Zanata, Silvio Pinheiro, Dartagnan Fernandes , Valtair de Almeida e atualmente quem comanda o clube é o presidente Zander Pereira..

Em 2006, o Goytacaz conquistou acesso ao Campeonato Carioca da 1ª Divisão de 2007, ao terminar em quarto lugar na Seletiva de 2006. Nesta Seletiva os públicos do Goytacaz ficaram entre 3.000 e 4.000 pessoas por partida. No jogo final, contra a Portuguesa, no Rio de Janeiro, 1.300 torcedores viajaram mais de 300 km para incentivar o clube campista. Posteriormente, a Justiça não reconheceu a validade jurídica do torneio, não permitindo o acesso dos clubes que haviam conquistado as vagas dentro do campo.

O clube revelou Amarildo, "O Possesso", goleador da Seleção Brasileira e destaque da Copa do Mundo de 1962.

O Goytacaz manda seus jogos no Estádio Ary de Oliveira e Souza, com capacidade para 15 mil espectadores. O alvi-anil é conhecido como "O mais querido de Campos", uma referência as suas origens populares, tendo sido o primeiro campeão da cidade de Campos, ainda em 1914.

O estádio Ary de oliveira e Souza foi inaugurado em 9 de janeiro de1938 com uma partida entre os donos da casa, que venceram por 2 x 1 o Internacional, tendo sido um de seus fundadores, Otto Nogueira, o autor do primeiro gol no estádio, cuja inauguração se deu na gestão do então presidente Augusto Alexandre de Faria.

O Estádio Ary de Oliveira e Souza teve o seu recorde de público em 13 de abril de 1986, quando 14.708 pagantes estiveram presentes para assistir ao jogo entre o Goytão e o grande time do Flamengo, com Zico e Cia, pelo campeonato carioca daquele mesmo ano.

Em 1972, a revista Placar, estimulada pela força que o Goytacaz demonstrava no início das disputas dos Estaduais, designou o jornalista Péris Ribeiro para fazer uma reportagem especial na qual também foi realizada uma pesquisa Ibope, que apontou o alvianil dono da sexta maior torcida do Estado do Rio, atrás apenas dos cinco grandes clubes: Flamengo, Vasco, Botafogo, Fluminense e America. Os números apontam a torcida do Goytacaz com 70% dos torcedores de Campos.

Títulos

Nacionais

Vice-Campeonato Brasileiro Série B: 1985.

Estaduais

Campeonato Fluminense: 6 vezes (1940, 1955, 1963, 1966/1967 e 1978*).
Vice-Campeonato Fluminense de Futebol: 6 vezes (1943, 1945, 1953, 1959/1960 e 1975).
Campeonato Carioca - 2ª Divisão: 1982.
Representante Oficial do Estado do Rio de Janeiro/FFE: 1940
Grupo B da Primeira Divisão (Primeiro Turno): 1992.

Outras Conquistas


Campeonato Citadino de Campos dos Goytacazes: 20 vezes (1914, 1920, 1926, 1932, 1933, 1940, 1941, 1942, 1943, 1945, 1948, 1951, 1953, 1955, 1957, 1959, 1960, 1963, 1966 e 1977).
Torneio Início de Campos dos Goytacazes: 10 vezes (1952, 1953, 1954, 1955, 1956, 1959, 1960, 1966, 1968 e 1969).
Vice-Campeonato Citadino de Campos dos Goytacazes: 3 vezes (1956, 1968 e 1975).

*Com a fusão das duas entidades (FFF e FCF), formando a atual Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, o primeiro campeonato unificado seria realizado em 1978. No entanto, por pressão dos clubes cariocas Flamengo, Vasco e São Cristóvão, que pretendiam excluir os clubes do interior do campeonato, a FERJ optou por dividir o estadual em dois campeonatos distintos: o da capital, vencido pelo Flamengo, e o do interior, vencido pelo Goytacaz, ambos seletivos para o estadual de 1979. A história, no entanto, reconhece apenas o Flamengo como campeão estadual nesse ano.

Ranking da CBF

Posição: 89º

Pontuação: 130 pontos

Participação em Campeonatos Brasileiros

1979 -Campeonato Brasileiro - 55º Colocado
1978 -Campeonato Brasileiro - 30º Colocado
1977 -Campeonato Brasileiro - 33º Colocado

Taça Brasil: 1964, 1967 e 1968
Taça de prata: 1980, 1984 e 1985
Terceira Divisão: 1987 e 2003

Rivalidade

O Goytacaz faz com o Americano, seu grande rival na cidade, o clássico de maior tradição e rivalidade do interior do Estado do Rio de Janeiro, clássico conhecido como Goyta-Cano.
Nas duas partidas realizadas em Campeonatos Brasileiros da 1° Divisão, até hoje, houve um empate de 1 a 1 (30 de outubro de 1977) e uma vitória do Goytacaz por 1 a 0 (26 de março de 1978), com os 2 jogos sendo realizado no campo do Americano.
O clube também mantinha grande rivalidade contra o Rio Branco e o Campos, contra quem fazia o chamado "Clássico Vovô de Campos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário