sábado, 20 de março de 2010

Nacional Fast Clube


Nome: Nacional Fast Clube (AM)
Alcunhas: Tricolor do Boulevard, Rolo Compressor, Tricolor de Aço, Clube Cintado
Torcedor: Fastiano
Mascote: Rolo Compressor
Fundação: 8 de julho de 1930
Estádio: SESI
Presidente: Ednailson Rozenha
Treinador: Aderbal Lana

História

O clube foi fundado no dia 08 de Julho de 1930, por um grupo de dissidentes do Nacional Futebol Clube, comandados pelo dirigente Vivaldo Lima e pelo jogador e capitão do time nacionalino, Rodolpho Gonçalves. O motivo da discórdia foi uma manobra política com mudança do Estatuto do Nacional às vésperas da eleição presidencial, tirando dos jogadores o direito a voto. Os atletas queriam Vivaldo Lima para a presidência, e estavam fechados em torno do nome do médico e dirigente. Com a manobra, os jogadores, cassados em seus direitos estatutários, não aceitaram a imposição e resolveram sair, fundando um novo clube.


Algumas características precisavam ser mantidas:



  • O nome Nacional.


  • A cor azul, que se juntou ao vermelho e ao branco, para homenagear as cores do Amazonas.


  • A sigla NFC, que passava a ser Nacional Fast Clube


  • A estrela como símbolo, que foi adotada na cor amarela, como vigora até hoje.

Assim, o novo clube já tinha como nome Nacional, as iniciais NFC e as cores vermelho, azul e branco, além da estrela amarelo ao centro do escudo. O grupo então resolveu consultar um professor do tradicional Gimnasyo Amazonense Dom Pedro II, para que sugerisse um nome iniciado pela letra F. Assim, o professor, que lecionava Inglês batizou o clube com o termo "Fast", que em inglês significa "rápido", fazendo uma analogia com a rapidez e a destreza que os jogadores que fundavam a nova associação de futebol apresentavam em campo.

O início

O Fast Clube depois de conseguir o acesso a primeira divisão do campeonato Amazonense, veio a iniciar suas atividades na primeira divisão do Campeonato Amazonense de Futebol em 1932, sendo logo vice-campeão da competição.

Década de 30

A Década de 30 foi de enorme valia para o Fast, que disputou várias finais no estadual e por força do destino não as conquistou. O time era respeitado e de forma unânime, era considerado o melhor time ao lado do Rio Negro. Nesta mesma década foi convidado a disputar competições interestaduais e amistosos em estados brasileiros, estes raros pela distância e amadorismo local, com destaque para a viajem ao Maranhão e Ceará.

Primeiros titulos nos anos 40

Nos primeiros dez anos de fundação o Fast Clube amargou 05 (cinco) vices campeonatos. Os primeiros títulos apareceram em 1948-49, um bi-campeonato com um belo time comandado por Raul, Nêgo, Marcílio, Aurélio, Mário Torres, Waldemir Osório, Paulo Onety, Dedé, Zequinha, entre outros grandes jogadores. Esta década consolidou o Fast como principal um dos principais times da cidade de Manaus, tendo realizado varios amistosos e recebido convites para jogos fora do estado, confirmando a fama do time manauara como uma das forças locais.

Anos 50

Em 1950 o Fast Clube estava prestigiado no futebol amazonense e despontava com destaque, com o prestígio e reconhecimento ao clube, o Fast Clube proporcionou um amistoso de grandes proporções, este o primeiro da história do clube e de um time amazonense contra o Flamengo do Rio de Janeiro, o time carioca vinha de uma extensa excursão pelo Brasil, já tinha passado pelos estados nortistas do Pará e Amapá. O jogo foi realizado no Campo do Parque Amazonense, com o término no placar de 6x1 para os cariocas no dia 31 de março. Mas foi nesta década que veio o terceiro título estadual em 1955.

Em 1959 o Fluminense veio para a realização de amistosos em Manaus, o Fast Clube era um dos seus adversários, em Parque Amazonense lotado, o jogo terminou 5x1 para os cariocas, mas na verdade o jogo foi uma grandiosa festa.

Anos 60

Em 1960 o Fast Clube conquistava seu quarto título, com um time arrasador, e foi nesta década que veio a primeira disputa da Copa Norte-Nordeste(1969), muito disputada na época e de grande importância. Um jogo que entrou para a histórica do Rolo Compressor, foi contra a equipe pernambucana do Sport Recife, que veio para a inauguração dos refletores do estádio Ismael Benigno, Colina, o jogo foi realizado em fevereiro de 1961, o Sport vinha de duas vitórias frente a São Raimundo e Santos, o Fast Clube em uma tarde inspirada aplicou ma goleada de 7x5, deixando os amazonense ao delírio com a bela atuação do Clube.

Anos 70 e a conquista do Norte

O maior Título do “Tricolor Eterno” veio em 1970, conquistando a Copa Norte, em excelente participação. Na Fase Final da Copa Norte-Nordeste, o Fast Clube deixou escapar o título em um confronto direto com a equipe do Fortaleza que brigava diretamente pelo título, jogo disputado na capital com o mesmo nome do clube cearense, com uma derrota amazonense por 4x1 e deixando o título para a equipe cearense que ficou 1 (um) ponto a frente do Tricolor Eterno. Em 1971 o Futebol Clube do Porto veio a Manaus fazer alguns amistosos, o Fast Clube iria enfrentar a equipe portuguesa no dia 17 de novembro, no estádio Vivaldo Lima com quase 40 mil pessoas, em uma boa partida o Porto vence por 3x1 equipe Fastiana. Apos isso veio o Campeonato Brasileiro em substituição a Taça Brasil, o Fast Clube teve 03 (três) participações na primeira divisão, sendo a de 1978 muito comemorada e lembrada pelos Fastianos mais antigos e saudosos, neste ano o Fast Clube surpreendeu a máquina tricolor do RJ, o Fluminense, em pleno estádio do Maracanã, aplicando 2x1 nos cariocas, no mesmo ano o Fast fez dois grandes jogos no Mineirão e Vivaldão contra Cruzeiro e Atlético-MG respectivamente, os placares foram de 5x4 e 2x1 para os mineiros.

Jogo Histórico

O dia era 9 de março, domingo de muito sol, o ano era o de 1980 e a expectativa era enorme em torno de um amistoso internacional que parava Manaus. Foi o acontecimento do ano. Fast Clube x Cosmos de Nova Iorque iriam protagonizar o duelo do dia. Graças aos esforços do então presidente Joaquim Alencar e alguns patrocinadores, o Fast Clube vivia dias bem movimentados. Desde as primeiras horas daquele dia o movimento era intenso em Manaus, que não recebia jogos deste quilate há bastante tempo. O time americano onde jogou Pelé, de 1975 até 1977, vinha com craques conhecidos e de destaque no cenário internacional. O Cosmos era um Real Madrid destes tempos, bem menos rico, mas tão popular quanto, e vinha com o tri-campeão de 1970 Carlos Alberto Torres, o alemão Beckenbauer, o paraguaio Romerito, Chinaglia e cia para proporcionar um jogo inédito em Manaus. O estádio Vivaldo Lima, o Vivaldão, comportou o recorde de público jamais visto: 56.950 pagantes. O jogo em si agradou a todos, os dois times procuraram o gol, mas apesar dos esforços de ambos o resultado ficou em 0 a 0. O esforço do modesto Fast Clube foi de grande valia e reconhecido, pois não possuía muitas estrelas, apesar de ter um bom time e ter sido reforçado naquele jogo pelo tri-campeão de 1970, Clodoaldo

Anos 80 - até hoje

A década de 80 o Fast disputou a segunda divisão do campeonato Brasileiro (1980 e 1982) tendo uma participação ruim nos dois anos.

A partir de 1986, o Fast entrou em uma grave crise financeira embalando uma série de fracassos no estadual e Brasileirão série B, a crise veio junto com o insucesso do futebol amazonense, ocasionado anos sem nenhuma conquista e sem nenhuma competição de destaque.

A partir de 2004 o Fast surgiu com destaque no regional, aplicando algumas goleadas. Em 2006 o Fast Clube ressurgia com força total, sendo vice-campeão estadual, fato este ocorrido em 2007 e 2008, mesmos anos em que disputou a Série C do Campeonato Brasileiro, neste periodo o Fast mandava seus jogos na cidade de Itacoatiara, onde obteve os melhores publicos do Campeonato Estadual daqueles anos.

Em 2007 foi um ano especial ao Fast Clube, disputando a Copa do Brasil pela primeira vez em sua história, enfrentado a equipe do Vasco da Gama/RJ, até então as equipes tinha se enfrentado somente duas vezes na história. Nos 02 anos seguintes o Fast Clube também marcou presença na Copa do Brasil, sendo que em 2009 o clube Manauara foi eliminado na 1° fase pelo ABC de Natal.

Maior público

O Fast possuí o maior público do Estádio Vivaldo Lima, no jogo contra o Cosmos de Nova Iorque, 56 mil pessoas foram ao estádio, público que jamais será alcaçando porque o estádio teve sua capacidade reduzida para 38 mil pessoas, e com o projeto de Manaus 2014 o estádio terá a capacidade para 45.000 pessoas.

Sede em Itacoatiara

Desde do ano de 2006, o futebol do Fast Clube estava sediado na cidade de Itacoatiara, onde manteve uma forte parceria com o municípios e seu principal colaborador, o hoje, Prefeito Domarques, onde conquistou três vices campeonantos amazonenses em 2006, 2007 e 2008 e participou das Copas do Brasil de 2007 e 2008.

Retorno a Manaus

Após o acesso do Penharol, o principal clube da cidade, à primeira divisão amazonense e o fim da parceria com o colaborador e município, o Fast voltou a Manaus com força total.
Estrutura

O Fast Club é o clube que dispoôe de melhor estrutura no Amazonas. Além, da sede oficial, localizada na Avenida Boulevard Alváro Maia, com duas piscinas, salão de festas e restaurante,se destaca por sua imponência e sua arquitetura conservada. Inaugurou recentemente em 2007 um balneário, onde construiu três piscinas, uma loja de material esportivo e roupas, lanchonete fast food e uma área de lazer, que abriga o famoso "Bolerão do Fast", festa popular nas noites da cidade.

Em 2009, com a administração de Ednailson Rozenha e seus colaboradores, o Fast fechou parceria com a ULBRA/AM, onde será oferecida ao clube um CT e salas com destinos a tratamento médico e áreas diversas, onde hoje, em Manaus, é considerado o melhor gramado do estado.

Títulos

Estaduais

Campeonato Amazonense: 6 vezes (1948, 1949, 1955, 1960, 1970 e 1971).
Torneio Início: 5 vezes (1957, 1972, 1985, 1994 e 2006).
Vice-Campeão Estadual: 20 vezes (1957, 1968, 1969, 1972, 1977, 1991, 2006, 2007, 2008).*
Taça Amazonas + Taça cidade de Manaus: 13 vezes (1964, 1965, 1967, 1969, 1971, 1972, 1977, 1979, 1980, 1991, 2006, 2007 e 2008).
Obs: * Por falta de fontes só estão computados os anos de profissionalismo.

Outras Conquistas

Torneio Norte-Nordeste ou Taça Norte-Nordeste [Etapa Norte]: 1970
Vice-Campeão da Copa Internacional Pacto Amazônico: 1980
Vice-Campeão do Torneio do Acre: 1968
Vice-Campeão do Torneio Amazônico: 1968

Ranking da CBF


Posição: 159º

Pontuação: 29 pontos

Nenhum comentário:

Postar um comentário