sexta-feira, 19 de março de 2010

Nacional Futebol Clube (Manaus)


Nome: Nacional Futebol Clube (Manaus)
Alcunhas: Naça, Leão da Vila Municipal
Torcedor: Nacionalino
Mascote: Leão e Águia
Fundação: 13 de janeiro de 1913
Estádio: SESI
Presidente: Luís Mitoso
Treinador: Alemão

Fundação

Nos primeiros dias de janeiro de 1913, quando presidia o Manaós Sporting o Dr. Egard de Melo Freitas, cindia-se este clube de então para dar nascimento a uma agremiação fadada a ser uma das maiores glórias do Amazonas desportivo. A cisão fora motivada por desentendimento entre o presidente e o capitão da equipe Manuel Fernandes da Silva, o Fernandinho, quando em reunião da diretoria discutia-se determinado artigo do Estado do Clube. A oposição de Fernandinho encontrou guarita entre seus companheiros de equipe, da qual faziam parte, entre outros, o Sr. José Marçal dos Anjos, de tradicional família Manauense, que em solidariedade o acompanharam na saída do Manaós Sporting, assim no dia 13 de Janeiro, em uma casa familiar na Rua 7 de Setembro nascia o "Eleven" Nacional. Mais tarde o nome "Eleven" teve de ser trocado motivado pelas criticas recebidas do torcedor Coreolano Durand, sendo que a partir desse momento o clube passaria a se chamar "Onze" Nacional.

1914-1987

O Nacional fez a primeira partida Oficial do Primeiro Campeonato Amazonense de Futebol no dia 8 de Fevereiro de 1914 contra o Manaós Sporting.Conseguiu entre 1916 e 1920 um inédito pentacampeonato amazonense. Anos mais tarde, o termo "Onde tem taça é do Naça" ganhou mais força com os inúmeros títulos regionais do Leão. O "Naça" , assim como é comumente conhecido pelos amazonenses e nortistas, tem como símbolo um "Leão azul" e possui no Rio Negro, seu histórico e mais ferrenho adversário, sendo uma clube de grande carisma durante todo esse tempo, fez crescer, inclusive no Interior do estado do Amazonas a sua imensa Torcida, que ainda é considerada a maior do Amazonas.É o Clube com maior quantidade de títulos estaduais, tendo conquistado 40 títulos. Grande revelador de talentos, fez surgir uma gama de estrelas do futebol nortista, tais como Marcolino, Gatinho e Paulo Onety, na época do amadorismo da FADA (Federação Amazonense de Desportos atléticos).Já nos 60, com a mudança no futebol amazonense para o profissionalismo, detinha o maior número de títulos do estado. No final dos anos 60 (1969) o Nacional teve a primazia de fazer uma partida preliminar do jogo entre a Seleção Brasileira (que viria a ser tri-campeã mundial no México em 1970)e a Venezuela,em jogo válido pelas eliminatórias.Nesse jogo amistoso, mas para a época de cunho muito importante, o "Naça" enfrentou o Maringá (PR) onde venceu o time paranaense por 1 x 0, gol de Pepeta.Na sua chegada em Manaus, aos jogadores e Comissão Técnica, além dos dirigentes houve bastante festa e comemorações pelo feito. Manaus possuía então 300 mil habitantes.

Com a sua tradição de conquistas, nos anos 70 conseguiu um inédito hexa-campeonato (1976-1981),antes, porém, revelou para o Brasil, os jogadores Campos Pedrilho, Toninho Cerezzo e Paulo Izidoro, que eram juniores do Atlético Mineiro e aqui vieram fazer um "estágio" voltando para Minas para o estrelato futuro. Jogadores como Alfredo Mostarda, Antenor (campeão brasileiro em 1977 com o São Paulo) calçaram as "chuteiras" nacionalinas também.Por volta de 1979 o Nacional realizou a intensa campanha: "O leão dá sorte" quando por meio de carnets, distribuía prêmios aos compradores dos bilhetes do evento, fazendo fortalecer seu lado patrimonial, inclusive com a construção de sua imensa piscina. O matemático e atual Dep. estadual Manoel do Carmo Chaves Neto (Maneca) para muitos é o eterno presidente do Naça, pois foi em sua longa gestão, que o "leão" conheceu suas maiores glórias.

Em 1984 o Nacional fez uma excursão ao Marrocos no Norte da África, onde participou da Copa do Rei Fayhad, sagrando-se campeão. Antes porém, em 1980 foi campeão da Taça do Pacto Amazônico, que reuniu equipes como Fast Clube, Tuna Luso, Milionários (Colômbia), Alianza e Cristal (Peru), dentre outras equipes sulamericanas.

Hoje

Revelações

A última grande revelação do Nacional foi a do jogador maranhense França do São Paulo, que inclusive jogou na Seleção Brasileira, e que surgiu no profissionalismo do Time da Estrela Azul em 1994. A última e grata revelação é do jogador Garanha, que nos últimos 3 anos tem se destacado e inclusive jogado fora do estado.

Mas, falando de revelações para o exterior é bom ser mencionado o nome de Lima, ou Pifó, amazonense vindo do Interior do estado, que jogou um bom tempo no Nacional, sendo posteriormente ido para o São Paulo em 1996 e que jogou brilhantemente na Europa.

1995 a 2005

Em 2002, o Nacional foi semi-finalista do Campeonato Brasileiro de Futebol da Série C. Além disso, em 1995 e em 2005, o time chegou até as quartas-de-final do mesmo campeonato, ficando, portanto, nessas outras duas vezes entre os 08 (oito) melhores do Brasil.

2007


Ano de sua ultima conquista, o Campeonato Amazonense de 2007. Ficou na 28° colocação na Série C, tendo disputado a competição até a segunda fase e criou o Nacional B, para a disputa da Série B Amazonense.

2008

Em 2008, disputou a Copa do Brasil até a segunda fase, sendo eliminado pelo Atlético-MG.

2009

Em 2009, ocorre o desligamento de Manoel do Carmo Chaves na presidência do clube novas eleições para presidente do clube são realizadas. A chapa vencedora era composta pelo vereador Luís Mitoso para presidente e pelo diretor de futebol Edson Rosas como vice-presidente.

O clube consegue a única vaga do Amazonas à Série D do Campeonato Brasileiro, ao vencer o primeiro turno do Campeonato Amazonense. Foi vice-campeão do torneio, ao perder para o América na final por 3 a 0.

Pela Série D, o Naça conseguiu avançar à segunda fase do torneio, sendo líder do grupo A1 com 9 pontos. No primeiro jogo da segunda fase, arrancou um empate diante do Cristal-AP em Macapá por 1 a 1. Bastava um empate sem gols para a classificação à terceira fase. No segundo jogo em Manaus, o time abre 2 a 0 no primeiro tempo. Mas no segundo tempo, mesmo diante de sua torcida, o time do Nacional leva de forma incrível, 5 gols do time amapaense, culminando com o placar de 5 a 2 para o Cristal-AP. Uma das atuações mais vexatórias da história do clube, e consequentemente, do futebol do Amazonas, que via no Nacional a chance de se classificar para a Série C de 2010 e sair do fundo do poço do futebol brasileiro. Na classificação geral, o clube acabou na 17º colocação, com 10 pontos ganhos.

Símbolos

Escudo

O escudo do Nacional é muito conhecido entre o meio esportivo nortista e até mesmo copiado por outros "nacionais" pelo Brasil, com o seu tradicional "N" inserido no circulo azul.

As seis estrelas

As seis estrelas douradas acima do escudo do clube simbolizam o inédito hexa campeonato do campeonato amazonense, feito exclusivo do Nacional.

Brasão

O brasão nacionalino é formado pelo escudo tradicional, as 6 estrelas e uma águia que foi adicionada na comemoração do centenário da Proclamação da Independência brasileira, este também é conhecido entre a torcida nacionalina como escudo de gala.

Os mascotes

O Nacional talvez seja um dos unicos clubes brasileiros com o feito de ter dois ou mais mascotes, no caso do Nacional a Águia e o Leão, sendo que esse ultimo tem maior popularidade entre o torcedor do Nacional.

Torcidas

O Nacional é históricamente o clube de maior torcida no estado do Amazonas, sendo que este jamais foi superado, o Nacional conta com as seguintes Organizações de Apoio:
Associação das Torcidas Organizadas do Nacional (ATON)



  • Torcida Organizada Narraça


  • Torcida Organizada Leões da Amazônia


  • Torcida Organizada Apaixonaça


  • Torcida Organizada Amazonaça


  • Torcida Organizada Naça Gol


  • Torcida Organizada Selva Azul

Curiosidades e feitos

Curiosidades

Os craques mineiros Campos, Isidoro e Cerezo jogaram pelo Nacional nos anos 70 o gol mais rapido feito pelo Nacional, foi feito por Edson Piola aos 20 segundos do 1° tempo, no jogo Nacional 1-2 Rio negro, disputado no dia 26 de Novembro de 1967.

Paulo Onety por duas oportunidades e Torrinha, foram os que mais marcaram gols em uma unica partida pelo Nacional, ambos fizeram 5 gols.

O craque Rivelino jogou um amistoso pelo Nacional contra o Remo no dia 19 de Julho de 1970, com um empate de 1-1.

O goleiro com mais tempo sem tomar gols pelo Nacional foi o Amazonense Artur, que ficou um total de 738 minutos sem tomar gols.

Feitos



  • Campeão Amazonense do Centenário da Independencia Nacional


  • Campeão Amazonense do Centenário da Elevação do Amazonas á categoria de Província


  • Campeão da primeira Taça da Amazonia


  • Campeão do primeiro campeonato profissional Amazonense


  • Tetra Campeão Amazonense (1983-1984-1985-1986)


  • Penta Campeão Amazonense 2 vezes (1916-1917-1918-1919-1920) e (1968-1969-1970-1971-1972)


  • Hexa Campeão Amazonense (1976-1977-1978-1979-1980-1981)

Rivalidades



Rio-Nal

O maior rival do Nacional é o Atlético Rio Negro Clube, ou simplesmente Rio Negro, com este o Nacional protagoniza o grande classico do futebol Amazonense, o Rio x Nal, que nos anos 70-80 movimentou bastante a população Manauara, e vem sendo disputado desde 1914(Ambos foram fundados em 1913 e estrearam no estadual em 1914 e são os unicos em atividade daquele 1° campeonato estadual Amazonense).

Pai&Filho

o classico recebe esta denominação pelo fato do Nacional Fast Clube, ou Fast como é popularmente conhecido, ter sido fundado por um grupo de dissidentes do Nacional, e a partir deste fato o Fast foi considerado um "filho" do Nacional.
O classico Pai x Filho passou a ser disputado a partir de 1932, quando o fast estreou no estadual.

Títulos

Estaduais

Campeonato Amazonense: 40 vezes — 1916, 1917, 1918, 1919, 1920, 1922, 1923, 1933, 1936, 1937, 1939, 1941, 1942, 1945, 1946, 1950, 1957, 1963, 1964, 1968, 1969, 1972, 1974, 1976, 1977, 1978, 1979, 1980, 1981, 1983, 1984, 1985, 1986, 1991, 1995, 1996, 2000, 2002, 2003 e 2007.
Vice-Campeonato Amazonense: 13 vezes — 1965, 1967, 1970, 1975, 1982, 1987, 1989, 1990, 1993, 1994, 2001, 2005 e 2009.
Torneio Início: 15 vezes — 1946, 1948, 1962, 1964, 1967, 1970, 1973, 1974, 1975, 1978, 1981, 1992, 1999, 2000 e 2004.

Internacionais


Copa do Rei Hassan (Marrocos): 1984.
Torneio Pacto Amazônico: 1981.

Equipe B

Vice-Campeonato Amazonense 2ª Divisão: 2007.

Categorias de base

Campeonato Amazonense Sub-20: 3 vezes — 1996, 2002 e 2005.

Ranking da CBF

Posição: 57º
Pontuação: 311 pontos

Nenhum comentário:

Postar um comentário