quarta-feira, 28 de abril de 2010

Associação Desportiva Confiança


Nome: Associação Desportiva Confiança
Alcunhas: Dragão do Bairro Industrial
Torcedor: Proletário
Mascote: Dragão
Fundação: 1 de maio de 1936
Estádio: Batistão
Capacidade: 22.000 pessoas
Presidente: Milton Dantas
Treinador: Polozzi

História

Fundado em 1º de maio de 1936, a Associação Desportiva Confiança, nasceu após uma competição de Voleibol, no bairro Industrial, onde, na época, os idealizadores, Joaquim Sabino Ribeiro Chaves, Epaminondas Vital e Isnard Cantalice lançaram o desafio de fundar um clube de Basquete e Voleibol. Somados e unidos pelo mesmo sonho, os jovens idealistas deram o pontapé inicial para uma história de vitórias e realizações do "Gigante Operário".

Somente em 1949, a ADC cria seu time de futebol, realizando diversos amistosos. Em 1950, o time disputa o Estadual, mas devido a antiga Lei do Estágio, acabou perdendo os pontos conquistados e, por isso, saiu do campeonato para realizar amistosos preparatórios. Em 1951, com todos jogadores regularizados, conquistou o estadual com certa facilidade, massacrando o Passagem de Neópolis por 7x1 na final.

Em 1º de maio de 1955, o Confiança, através do seu padrinho, o Dr. Joaquim Sabino Ribeiro Chaves, realizou o sonho de todo time de futebol, construir o seu estádio de futebol, o Sabino Ribeiro. No primeiro clássico no estádio, o Confiança arrasou o Sergipe ao vencer por 6x1. E na decisão do campeonato, depois de vencer o Sergipe por 3x1 no antigo estádio Adolpho Rollemberg, a FSD (atual Federação Sergipana de Futebol), marcou a 2ª partida da final novamente no Adolpho. Não concordando com a decisão, o Confiança desfiliou-se da FSD e, depois do amistoso contra o Olímpico, fechou as portas.

Indignada com a atitude tomara pelo patrono do Confiança, a torcida proletária realizou uma grande passeata que praticamente cruzou a cidade até as proximidades da sede do clube. Envolvido com o tal movimento, o sr. Joaquim Ribeiro foi até a multidão e, em um palanque improvisado, disse para a multidão: "Como é para o bem de todos e felicidade maior do Confiança, o Confiança fica e a Fábrica sai, porque o Confiança não pertence mais à Fábrica, o Confiança agora é do povo".

Em 17 de fevereiro de 1957, o Confiança realiza um amistoso que marca o seu retorno ao futebol. E não poderia ter sido em momento tão oportuno. O Confiança venceu o Bonsucesso/RJ por 3x1, realizando um feito não só seu mas também do futebol sergipano, sendo a primeira vitória de um time sergipano sobre times cariocas.

Na década de 60, o Confiança montou seu primeiro grande time, que para muitos foi o maior de todos os tempos. Formado por grandes craques que chegaram a brilhar no futebol nacional e no exterior, esse time conquistou o bicampeonato em 1962/63; sagrou-se vice-campeão da Zona Nordeste da Taça Brasil em 1964; campeão estadual e da Taça São Francisco em 1965 e campeão invicto em 1968. Vale destacar as brilhantes campanhas nas Taças Brasil de 63 e 64 e também as vitórias sobre os principais times do nordeste e até Bangu, na época campeão carioca.
Na década de 70, o Confiança teve outro grande time de sua história. Este time sagrou-se novamente bicampeão estadual 1976/77. Em 77, o time realizou a melhor campanha de um time sergipano em nacionais, chegando a decidir a liderança do grupo contra o Flamengo em pleno Maracanã. Desse time, vários destaques acabaram jogando nos principais clubes do futebol nacional.

Na década de 80, com mudanças no Campeonato Brasileiro, diversos times acabaram sofrendo com a falta de visibilidade. E com o Confiança não foi diferente. Ainda disputou um Campeonato Brasileiro, mas sem o mesmo brilho. No restante da década, quando disputou algum torneio nacional foi a Segunda Divisão, com campanhas medianas.

Na década de 90, enfrentou o pior jejum de toda história. Foram 10 anos sem títulos. Mesmo assim, chegou perto de voltar ao Campeonato Brasileiro em 1992, onde a CBF realizou uma virada de mesa e acabou subindo vários times. A partir de 1997, começou a fazer boas campanhas na Série C, mas nunca conseguindo chegar no objetivo principal.

Em 2000, o fim do jejum de títulos esteve bastante próximo. Depois de um começo de ano ruim, o time cresceu na reta final do estadual e, vencendo o Hexagonal, iria decidir com o Sergipe. E, após golear o Sergipe por 4x1 no João Hora de Oliveira, viu a história de 55 se repetir. Desta vez, a Polícia Militar vetou o estádio Sabino Ribeiro (que já tinha recebido mais de 20 jogos somente naquela temporada). Mesmo assim, o Confiança entrou em campo sem a presença do rival. A FSF, presidida interinamente por Ari Resende, remarcou a partida para um estádio neutro, e dessa vez o Confiança não compareceu. E até hoje essa briga está na justiça desportiva, com o Sergipe vencendo no TJD e o Confiança vencendo no STJD.

No ano seguinte, finalmente o jejum chegou ao fim. O rival venceu a primeira fase e o Confiança a 2ª fase, indo para as finais com vantagem. E em 3 jogos eletrizantes, o Confiança sagrou-se campeão sergipano. Em 2002, o time conquistou o bicampeonato de forma invicta, repetindo o feito de 1968. E ainda por cima realizou a melhor campanha de um time sergipano em Copa do Brasil. Em 2004 foi campeão com uma campanha praticamente impecável. Em 2008 fechou uma parceria com o plano de saúde PLAMED que rendeu o Campeonato Sergipano e a Copa Governador.

O ano de 2008 foi marcante para o Confiança também por ter conseguido fazer uma excelente campanha na Série C 2008, mobilizando a torcida sergipana que lotou os estádios e fez uma linda festa. Após um início arrebatador no Octogonal Final, quando conseguiu assumir a liderança, o time sofreu uma queda livre e terminou apenas na 7ª colocação.

Títulos

Estaduais

Campeonato Sergipano: 17 vezes 1951, 1954, 1962, 1963, 1965, 1968, 1976, 1977, 1983, 1986, 1988, 1990, 2001, 2002, 2004, 2008 e 2009
Copa Governo do Estado de Sergipe: 3 vezes 2003, 2005 e 2008
Torneio Início: 2 vezes 1957 e 1962

Outras Conquistas

Taça São Francisco: 1965.

Ranking da CBF

Posição: 77º
Pontuação: 168 pontos